Ortega conclama servidores à guerra contra a dengue
19/12/2019 - 14:33

O secretário do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas (SEDU), João Carlos Ortega, entra na “Guerra contra a Dengue”, encorpando o chamado do governador Carlos Massa Ratinho Junior e conclama a todos os servidores da SEDU e das cinco vinculadas: Serviço Social Autônomo (Paranacidade), a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (COMEC), da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) e do Conselho Estadual das Cidades do Paraná (ConCidades/PR) a combater o mosquito que propaga a doença. E faz um alerta sobre a doença. “Cuidado! Dengue não é um carinho da vida. Ao contrário, dengue maltrata e mata”, enfatiza.

“O alerta sobre a dengue, das autoridades de Saúde do Governo do Paraná, deve ser levado a sério. Pois, diferente do seu significado na língua portuguesa, cuja origem está no espanhol, ‘melindre, dengoso’, na vida real, dengue não é um carinho da vida. Ao contrário, dengue maltrata e mata”, reforça o secretário do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega.

Ortega se preocupa não só como autoridade que faz parte da equipe do Governo do Paraná, mas também como cidadão. Ele destaca que também tem filhos, neta, sobrinhos, enfim há muitas crianças, adolescentes e também idosos. “Precisamos preservar a vida de todos. Mas é importante a participação e colaboração de cada cidadão para combater o mosquito que transmite a doença. E o melhor caminho é manter tudo limpo, sem espaço para criadouros do mosquito”, enfatiza.   

A DOENÇA - De acordo com os médicos da Secretaria da Saúde do Paraná, a dengue é uma doença infecciosa febril causada por um vírus e transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti, principal vetor da doença. É típica de áreas tropicais e subtropicais, onde as condições ambientais favorecem o desenvolvimento do mosquito. Há dois tipos de dengue: a clássica e a hemorrágica.

A clássica é a mais comum e também a mais leve. Os sintomas podem ser sentidos por aproximadamente 6 dias e os principais são: febre, dor de cabeça, dores no corpo, nas articulações e atrás dos olhos, náuseas e vômitos. Os sintomas de mal estar podem durar mais alguns dias mas, se for tratada, a doença tem cura e não oferece risco à vida do paciente. Normalmente a dengue clássica tem evolução benigna e raramente provoca a morte do doente. Algumas vezes é confundida com gripe.

Já, a dengue hemorrágica ou febre hemorrágica da dengue, ou de síndrome do choque do dengue, é a forma mais grave da doença. Causa alterações no processo de coagulação sanguínea do paciente e se não for tratada adequadamente pode levar à morte. Além dos sintomas comuns da dengue clássica, há tendência para hemorragias, intensas dores abdominais, pele pegajosa, pálida e fria, agitação, sonolência e dificuldade respiratória.

Se não for tratada corretamente a doença leva a algumas complicações, chamadas de síndrome de choque da dengue. Estas complicações podem envolver confusão mental, perda de consciência, desidratação grave e dificuldades cardíacas e respiratórias.

TRANSMISSÃO - A transmissão da dengue é por meio da picada do Aedes aegypti. Depois de picar alguém infectado o mosquito fica apto a transmitir o vírus após 8 a 12 dias de incubação, que pode variar de 3 e 15 dias. Em qualquer caso da doença é preciso procurar um médico, orientam os sanitaristas.