Palmeira ganha Calçadão Boulevard para gastronomia e lazer
07/01/2021 - 10:12

O Governo do Estado é parceiro em um projeto inovador em Palmeira, Município de 35 mil habitantes dos Campos Gerais: a criação de um Calçadão Boulevard na região central, ao lado da Praça Marechal Floriano Peixoto e da Igreja Matriz. Esse novo espaço tem 2,4 mil metros quadrados e consiste na revitalização de duas Ruas para entregá-las à gastronomia e entretenimento, com pérgulas, nova arborização, iluminação em LED e um beco de muros grafitados. O investimento total é de R$ 539.268,50.

É uma obra que se complementa à reforma do Cine Teatro Municipal e à retirada da Prefeitura dessa Região (há um novo Centro Cívico em Palmeira), dentro de um plano de novas ocupações e espaços culturais. O objetivo é criar essa pequena “Puerto Madero”, espaço para gastronomia e entretenimento de Buenos Aires, para atrair mais turistas, movimentar o setor de serviços e valorizar pratos típicos como o pão no bafo - e carne de porco, repolho e massa de pão cozida que chegou ao Município em 1878.

De acordo com o secretário de Cultura, Patrimônio Histórico, Turismo e Relações Públicas de Palmeira, Valdir Jonas Filho, os imóveis no entorno da Praça serão tombados e o Calçadão Boulevard dará nova utilidade financeira a eles sem perder as suas características essenciais. De um lado o projeto fomenta a preservação; de outro, a ocupação responsável.

“Pensamos nessa alternativa para uso gastronômico. Bloqueamos outros alvarás que não sejam ligados a isso nessa área, que foi inspirada em estruturas similares às de Buenos Aires, na Argentina, e de países que abraçam esse conceito. Queremos que a comida saia à rua, o que também vai aumentar a capacidade de atendimento dos restaurantes e bares que estiverem ali”, assegura.

O engenheiro civil da Prefeitura de Palmeira, Aldemar Viante, afirma que   é uma tentativa de dar nova dinâmica a uma área nobre da cidade. “Retiramos a Prefeitura e os bancos dessa região, mas agora teremos esse novo espaço cultural aberto para a população, então a ideia é renovar o movimento no entorno da Praça, onde a cidade nasceu. Queremos trazer outro tipo de dinâmica, dessa vez gastronômica”, afirma. “É um movimento que assusta o comércio, mas já percebemos que é um sucesso porque as pessoas ‘compraram’ a ideia”.

MUDANÇAS – O primeiro passo foi a supressão da Rua de uma pista e dois acostamentos que passavam ao lado da Praça para a instalação de paver no chão e ampliação das calçadas, pensando na integração com o piso já existente ao lado da Igreja Matriz, e que também leva à Rua Conselheiro Jesuíno Marcondes, a “Avenida do Comércio”. No meio da quadra dessa Rua também há um beco (Travessa 19 de Dezembro) onde o paver já foi implementado. É como se o Calçadão formasse um T.

Também serão instalados, na antiga Rua, pérgulas metálicas, áreas de sombreamento, e postes de luz modernos. Na entrada do beco haverá, ainda, uma espécie de pórtico com cobertura que imita a folha da palmeira, símbolo do Município. Essas áreas poderão ser usadas pelos restaurantes e bares para ampliar o atendimento na calçada.

A obra começou há apenas quatro meses e quase 30% já está executada, restando apenas algumas estruturas metálicas e o acabamento final. A empresa que venceu a licitação ainda não conseguiu terminar porque teve problemas na sua máquina de flange (peça de ligação dos tubos).

Os recursos foram disponibilizados a fundo perdido pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas e atendem ao compromisso número 11 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da Organização das Nações Unidas (ONU): tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

“É uma ideia que se integra à agenda da Organização das Nações Unidas para os municípios. Dá uma nova dinâmica para um local histórico, parte da cultura do Estado, e permite uso regular e seguro do Centro, promovendo desenvolvimento econômico e estimulando o comércio”, afirma o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega.

OUTRAS OBRAS – O município também tem outros três grandes convênios com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas. Um deles ajudou a viabilizar a pavimentação da Rua Pedro Calaça, com investimento de R$ 191.049,15, e o outro a construir uma unidade do Meu Campinho no Bairro Vila Rosa, o mais populoso do Município, com recursos que alcançaram quase R$ 280 mil.

“É uma Rua que existe há mais de 40 anos, na Colônia Francesa, mas ainda não era asfaltada. Palmeira é um Município com praticamente todas as ruas pavimentadas, então precisávamos fazer esse fechamento”, enfatiza Aldemar Viante. “Já o Meu Campinho atende uma região que carece de escola, lazer, de atividades para a criançada, então tentamos levar mais estruturas e qualidade de vida para essas famílias”.

Também deve começar a ser revitalizado, nos próximos meses, o Centro de Eventos Francisco Rutcoski – Parque de Rodeios. Serão construídos dois Barracões para ampliar a infraestrutura às festas e Feiras Municipais – um deles terá dois pisos. O investimento será de R$ 1,6 milhão e os recursos englobam banheiros, pavimentação, sinalização e paisagismo, projetando, inclusive, um espaço amplo e moderno para aumentar os eventos depois da pandemia.

(C/ AEN)

Últimas Notícias