Notícias

15/08/2019

Prefeituras tem apoio para elaborar a análise de Perímetros Urbanos ao PDM

Técnicos do Serviço Social Autônomo (Paranacidade), ligado à Secretaria do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, conheceram nesta quinta-feira, 15, a metodologia para Análise do Perímetro Urbano. Trata-se de uma fase importante na elaboração do Plano Diretor Municipal (PDM) e fundamental para estabelecer os critérios de crescimento do espaço urbano e disciplinador do uso do solo. O evento foi aberto pela coordenadora de Projetos do Paranacidade, Virgínia Nalini. “O Curso formará multiplicadores desses conhecimentos para todos os municípios com mais de 20 mil habitantes, como preconiza o Estatuto da Metrópole”, explicou.

Em seguida o analista de desenvolvimento municipal, da Coordenadoria de Projetos do Paranacidade, o geógrafo Carlos Storer deu início ao Curso. “O perímetro urbano não pode ser alterado para acomodar interesses ou necessidades pontuais. Ele é instrumento para orientar o desenvolvimento, define o que é urbano e o que não é, onde podem ser abrigados os setores industriais, o comércio e as regiões habitacionais. Essas definições, feitas com critério, levam à otimização da gestão do espaço público e à melhor aplicação dos recursos”, enfatizou. Os participantes do encontro que atuarão como multiplicadores desse conhecimento, junto às prefeituras, também vão garantir apoio dentro do processo de elaboração dos Planos Diretores Municipais.

A correta avaliação do perímetro urbano e de seus componentes é passo fundamental para definir a ocupação do solo e orientar o desenvolvimento e permitir aos gestores municipais maior eficiência no uso dos recursos públicos. Sua aplicação, por exemplo, evita que as áreas urbanas cresçam desordenadamente ou ocupem espaços afastados um dos outros.

Storer ensina que sem a análise adequada, os perímetros urbanos acabam aumentados fisicamente além da necessidade, com muitos vazios urbanos. Quando isso acontece, são criadas demandas adicionais por infraestrutura, o que acarreta gastos mais elevados para garantir energia, água, coleta de esgotos, pavimentação de vias, escolas, atenção à saúde, habitação, entre outras necessidades, para atender áreas distantes e, muitas vezes, com baixo adensamento populacional. “A análise do perímetro urbano leva ao melhor planejamento e ao uso adequado dos recursos públicos, além de proporcionar às populações maior qualidade de vida”, afirma Carlos Storer.

A reunião técnica aconteceu hoje no Palácio das Araucárias, no Centro Cívico, em Curitiba, com a participação de técnicos de todos os Escritórios Regionais do Paranacidade/SEDU.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.