Estado vai modernizar estrada que integra Mandirituba e São José dos Pinhais
29/06/2021 - 17:00

A ligação entre os Municípios de São José dos Pinhais e Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), ficará mais curta e rápida. O Governo do Estado vai estruturar uma nova estrada de 26,7 quilômetros, a partir do traçado de uma, de chão já existente, que vai integrar as duas cidades e também facilitar o acesso dos outros Municípios mais ao Sul da RMC à Capital e ao litoral paranaense e catarinense.

A ordem de serviço para dar início à elaboração do Projeto Executivo da obra foi assinada nesta terça-feira, 29, no Palácio Iguaçu, pelo governador em exercício Darci Piana; o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega; o diretor-presidente da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (COMEC), Gilson Santos; e os prefeitos de Mandirituba, Luis Antonio Biscaia, e de São José dos Pinhais, Nina Singer.

“É uma obra que vai encurtar distância, permitir novos investimentos, porque quando se tem uma estrada boa, as indústrias passam a se interessar por esses locais, e também a saída de produtos agrícolas dos dois Municípios. Além disso, há também a questão turística. São José dos Pinhais já tem grande potencial, Mandirituba está organizando esse setor. Vai ser estratégica para o Estado e importante para a população, que vai economizar tempo e distância”, destacou Darci Piana.

O trecho que será pavimentado, sai do trevo da empresa Volkswagen-Audi, na BR-376, em São José dos Pinhais, até a Rua Gilberto Palu, em Mandirituba, na ligação com a BR-116. A estrada passa pela Colônia Marcelino, local de grande potencial para o turismo rural e religioso, e também cria uma via alternativa para os Municípios de Quintandinha, Agudos do Sul, Piên, Campo do Tenente e Rio Negro, localizado no chamado segundo anel da RMC.

“A intenção do governo é promover uma nova conexão na Região Metropolitana e não atende apenas aos dois Municípios, como também aqueles do Sul da RMC. Hoje eles têm apenas uma opção, pela BR-116, que é pedagiada. Com essa Via Metropolitana, vamos ganhar uma nova conexão com São José dos Pinhais e com a BR-376, que faz a ligação com o Litoral do Paraná e de Santa Catarina”, explicou Gilson Santos.

INTEGRAÇÃO – Assim que o Projeto Executivo for concluído, a intenção do governo é iniciar os trâmites para contratação da obra logo na sequência. “Estamos nos organizando para que todo o processo seja bastante rápido. Essa região tem um importante potencial de desenvolvimento e pode muito bem conciliar diversas atividades na promoção do emprego e renda”, enfatizou o secretário Ortega.

A obra terá um impacto direto no escoamento da produção da agricultura familiar e no fomento do turismo rural. Mandirituba é o maior produtor de camomila da América Latina, e ambos os Municípios estão entre os principais produtores de hortifrutigranjeiros na Região.

“Vai ser uma via alternativa ao pedágio, que fica na porta de Mandirituba, e vai facilitar para as pessoas que se deslocam para Curitiba e São José dos Pinhais e para quem quer ir ao Aeroporto, ao porto e às praias. É um fato histórico para o Município, que sempre dependeu da Rodovia, mas ficou muito tempo fechado para a atração de indústrias, além de ser mais um incentivo para a agricultura”, explicou o prefeito de Mandirituba.

Já a Colônia Marcelino, em São José dos Pinhais, é um destino do turismo religioso. O local abriga a Igreja da Santíssima Trindade, construída com arquitetura típica dos Templos Ucranianos e que está entre as maiores construções do estilo no Estado do Paraná.

Além disso, destaca a prefeita de São José dos Pinhais, também haverá a conexão ao polo industrial do Município. “Temos, na região, grandes polos industriais e queremos atrair mais empresas. Mas a estrada também vai facilitar o desenvolvimento do turismo rural e religioso em nosso município. Há também uma grande produção rural, de soja, hortifruti, que será escoada por essa via”, disse Nina Singer.

PROJETO – O edital de licitação (Concorrência 05/2020/COMEC) foi lançado pela COMEC e contou com quatro participantes. A empresa vencedora foi a Azimute Engenheiros Consultores LTDA., que terá o prazo contratual de 180 dias corridos para entregar o projeto, contados a partir da assinatura da Ordem de Serviço.

O projeto executivo vai definir o valor total do investimento e o tempo para a execução da obra. A estimativa da COMEC, porém, é que o empreendimento chegue a aproximadamente R$ 50 milhões, que devem ser custeados pelo Governo do Estado. O projeto, em si, foi contratado por cerca de R$ 600 mil, valor 25% inferior ao previsto no edital de licitação, uma economia de R$ 196,8 mil aos cofres públicos.

PRESENÇAS – Participaram também da solenidade o chefe de Gabinete da Governadoria, Daniel Villas Bôas; e os deputados estaduais Francisco Bührer, Márcio Pacheco e Alexandre Amaro.

(C/ AEN)

Últimas Notícias